Fringe – Brown Betty (S02E20)

E lá vamos nós para o episódio musical de Fringe!

Walter está doidão no laboratório. Cheio de algo que ele batizou de “Brown Betty”. Olivia chega com Ella para que Astrid tome conta dela por umas horas (largar uma menina no leboratório do Walter… hmmm bad idea!). A menina pede que Walter conte histórias que ele contava para Peter, mas ele diz que não contava histórias, pois estava sempre muito ocupado com o trabalho. Então ela pede uma história que seus pais contavam a ele (garota mala!).

Então Walter começa a contar uma história de detetives que sua mãe lhe contava.

Anos 40. Olivia é uma detetive que recebe a visita de Rachel, que está à procura do namorado, Peter Bishop. Olivia rejeita o caso, mas a moça insiste. E começa a cantar (com a voz de Walter) “Head Over Hills”, do Tears For Fears (ok, Walter está doidão e cantando no laboratório).

No outro canto da cidade, Peter está fugindo com um coração de vidro.

Olivia vai até um bar, onde o “tenente” Broyles canta “Low Spark Of High Heeled Boys” ao piano (e até que o Lance Reddick não faz feio). Ela pede ajuda para encontrar Peter e mostra um símbolo – o logo de uma empresa chamada Massive Dynamic. Então Olivia vai até lá e é recebida por Nina Sharp, que diz que Peter é um vigarista que está usando a namorada de alguma forma. Ela afirma ainda que ele é muito perigoso.

Saindo da Massive Dynamic, Olivia pega seu celular (peraí… celular? nos anos 40?) e tenta ligar para Rachel, mas ela acaba sendo morta, de uma maneira estranha, pois a polícia não consegue identificar nem a arma que foi usada. Broyles convence Olivia a deixar o caso – e ela finge que o faz e vai embora – roubando a agenda da vítima, onde encontra um cheque de Walter.

Walter (que aparece em uma cadeira de rodas) contratou Rachel para contratar Olivia para achar Peter. Ele diz que eles não são parentes, mas que o ama como filho. Walter inventou tudo o que há de melhor no mundo, como, ursos de pelúcia, abraços, chiclete e os cadáveres cantantes (que se levantam para entoar “Candy Man”). Peter teria roubado um de seus inventos: o coração de vidro que mantém Walter vivo (bela metáfora!) e, caso ele morra, todas as coisas boas vão morrer com ele.

Então Olivia percebe a gravidade da situação e resolve chamar sua assistente de volta, Astrid (ou melhor, Esther), que já está à procura de outro emprego. Enquanto tenta convencer a moça a voltar ao trabalho, é atacada por um homem careca (hmmm…), que lhe corta o peito com uma arma fabricada pela Massive Dynamic.

Olivia persegue Nina enquanto Esther fica no escritório procurando informações sobre a Massive Dynamic pela internet. No laptop! Ela fala sobre William Bell e Olivia vê Nina conversando com ele através da janela que mostra a realidade paralela. Então é atacada e levada pelo Observer ao encontro de Nina, que a manda encaixotar e jogar no mar. Mas ela é salva por Peter, que aparece no meio do nada com um barquinho. Ele a leva para casa, lhe dá comida e a chama para sair.

Peter aproveita para dizer à Olivia que Walter rouba os sonhos das crianças para fazer as coisas legais. Ele também diz que tem um coração de vidro e estava disposto a dá-lo para Walter, mas depois que ele descobriu a verdade, desistiu! Nisso os observers invadem a casa, há um quebra pau e o coração de Peter é roubado. Ou seja, ele também está morrendo. E lá vai Olivia consertar o coração de Peter no maior estilo Pepper Bots em Homem de Ferro. Bem, parece que Peter morre e Olivia começa a cantar “For Once In My Life” (ok, Anna Torv, vou te dar um “sim” porque a cena é tensa, mas treine mais para a segunda fase). E Peter acorda.

Por fim, quem roubou o coração de Peter foi Walter. Olivia vai com ele ao laboratório para reavê-lo e Walter pede desculpas (até canta “Candy Man” para ele), mas não adianta. Peter vai embora e leva o coração consigo.

Ella não se conforma e dá um final muito melhor para a história.

De volta à realidade, um observer vê Walter e Astrid chegando em casa e faz uma ligação para dizer que Peter continua desaparecido e que, como Walter não havia seguido seus conselhos, ele está muito preocupado.

Um dos melhores episódios EVER! Walter contou partes da história, sua visão da história, de maneira genial! A gente reconhece cenas desde o piloto até os últimos acontecimentos. Muito bom mesmo!

2 opiniões sobre “Fringe – Brown Betty (S02E20)

  1. “ok, Anna Torv, vou te dar um “sim” porque a cena é tensa, mas treine mais para a segunda fase”.
    hahahahahaha, fato.

    Grande episódio, a metáfora do coração é ótima!
    E o Walter transformando a vida deles numa historia, genial.
    Sem contar que o povo ficou lindo vestido de época.

  2. Olá, Chris!

    Este foi o mais episódio mais mirabolante já exibido em “Fringe”! Como você diz no início do seu texto, realmente foi uma má idéia de Olivia deixar Ella com Walter, especialmente quando ele ainda está sob o efeito da “Brown Mary”.

    Houve momentos divertidos – e absurdos! – como o coral dos defuntos cantores.

    Mas, o que me incomodou foi ver este episódio neste ponto da temporada, quando o encontro entre os universos é iminente e nosso universo está à beira de um colapso. Particularmente, achei que ele desviou a atenção justamente quando vínhamos tendo uma seqüência de episódios fantásticos.

    Um abraço!

    Adelson (TD Séries)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s