Marg Hlegenberger – Entrevista para o Los Angeles Times


Está chegando o 10º ano de CSI. Como é isso?
São muitas coisas. Eu avalio muitas coisas através da idade do meu filho. Ele tinha 9 anos quando começamos a série. Agora ele está com 18 anos – um calouro em Indiana. Ele veio para as férias de primavera ontem, parecendo um desleixado. Ele está com uma barba ruiva. Quer dizer, ele é ruivo! Mas uma barba ruiva é meio incomum. E vê-la no meu filho de 18 anos me enlouquece.

É mesmo?
Não acho que ele quis dizer alguma coisa com isso. Eu acho que ele só não queria incomodar. Acho que ele preferiria estar dormindo ou mandando mensagens para alguém.

Desde que ele não esteja envolvido em algo nefasto onde eles deixam crescer barba.
Isso – algum tipo de culto. Acho que você tem que ter um pouco de disciplina se você estiver em um culto. Ele nunca foi do tipo que adere a padrões ou regras. Eu não me preocupo com isso nele.

Os filhos das pessoas na TV acabam virando um desastre – e ele parece bem.
Ele é um bom garoto. Não parece ser interessado na indústria do entretenimento ainda. Isso pode mudar. Ele escolheu uma escola no coração do centroeste. Eu sou do centroeste, e eu acho que ele se sente confortável com as pessoas do centroeste. Elas não são pessoas metidas. São verdadeiros e legais e ainda gostam de se divertir. É um campus bonito. Uma vez eu estava visitando o campus, no último outono, nós fomos a este restaurante, que era muito bom, acho que chamava The Farms. Estou sentada e vem John Cougar Mellencamp. Ele entrou com a sua família. Eu estava chocada demais pra falar alguma coisa. Tudo que eu teria dito seria, “Hey, eu gosto das suas músicas, cara.”

Você foi para a faculdade do Noroeste.
Bill Petersen [William Petersen, Gil Grissom de CSI] foi para a Evaston High por um tempo. Michael Madsen também. Na verdade, Virginia Madsen e eu fomos garçonetes num restaurante em Evaston. Não é loucura?

Vocês duas serviram comida juntas?
Bom, sim. Há algumas histórias lá. Não necessariamente envolvendo Virginia. Ela não era mal-comportada como alguns de nós. Pelo menos, não que eu me lembre!

É um lugar seguro para passar um tempo.
Sim. Eu me graduei na faculdade em 82. Oh, meu filho já voltou [para o filho dela] Hey! Estou terminando essa entrevista e vou descer em um, dois ou três segundos. [de volta pra nós] Ele foi pegar alguns amigos no aeroporto de L.A. Os meninos, muitas vezes não querem ir a lugar algum nas férias de primavera, eles vêm pra cá. É L.A. É ótimo.

Onde estávamos?
Evaston! Quando eu estava na faculdade era uma cidade seca – o centro do Woman’s Christian Temperance Union. Então, lá não tinha bares. Tinha um bar em um dos hotéis e no Holiday Inn. Isso era duro na faculdade.

Sim. Você gosta de internet?
Oh, sabe, nos dias de hoje é extremamente útil. Principalmente para pesquisar alguma coisa. Recentemente entrei num site médico – algo estava me incomodando, uma alergia ou algo parecido. Foi bem útil. Podemos passar horas matando tempo com besteiras. Mas, sabe, nunca vou nesse sites que falam de celebridades – ou até mesmo de “CSI”. Vejo muitas pessoas escrevendo coisas negativas. E isso pode ser, sei lá, um imã para esse tipo de pensamento.

Isso seria muito ruim.
E é como se ninguém se importasse com o que você pensa.

De acordo com os jornais locais, você foi, recentemente, pega em Las Vegas com um cappucino grande, gelado e sem gordura. Que escândalo!
Yeah! Eu sou uma rebelde! Recentemente? Oh, Deus, mesmo? Isso é loucura… Quero dizer, sério. Sim, eu estava em Las Vegas no último final de semana. Encontrei um velho amigo e nós fomos ver a Cher no Caesars Palace. Foi maravilhoso. Nós a conhecemos nos bastidores. Ela foi tão legal.

O que você disse a ela?
Eu a cumprimentei no show e disse “bravo”…Eu disse nos bastidores “Você é uma inspiração!” e ela disse: “Não sei como envelheci tanto!” Eu não quis dizer num sentido prejorativo. E eu disse pro meu amigo, “Eu espero não tê-la ofendido”. E meu amigo disse, “Acho que nada ofende a Cher”.

By Choire Sicha
Fonte: Los Angeles Time, 29 de Março de 2009 / CSI Brasil
Tradução: nathiconti

Uma opinião sobre “Marg Hlegenberger – Entrevista para o Los Angeles Times

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s